Dispense a câmera: aprenda a fazer boas fotos da sua viagem com o celular

Por Louise Vernier e Caio Lauer
Do UOL, em São Paulo

 

Um passeio rápido pelo Instagram e não será difícil concluir que fazer fotos bacanas com um smartphone é perfeitamente possível. Em viagens, o aparelho pode fazer as vezes de uma câmera, porém, com a vantagem de ocupar pouquíssimo espaço na bagagem de mão. Conheça algumas dicas para tirar proveito de todos os recursos que o seu celular oferece e registre, de forma única, os melhores momentos da sua próxima viagem.

Getty Images

Use a regra dos terços

Buscar ângulos diferentes e usar regras básicas de composição, como a dos terços, é fundamental para conseguir boas fotos, de acordo com o fotógrafo profissional Renner Boldrino, professor do curso de extensão Fotografia com Smartphones da UFAL (Universidade Federal de Alagoas). As câmeras da maioria dos celulares contam com o recurso de grade – ou grid, que divide a tela do smartphone em nove retângulos. “Para conseguir imagens harmônicas, posicione o seu alvo principal na interseção dessas as linhas”, explica Rafael Araujo, fotógrafo profissional especializado em discurso fotográfico pela UEL (Universidade Estadual de Londrina).

Getty Images

Traga luz para a sua foto

Sempre que possível, procure ambientes bem iluminados – natural ou artificialmente – para fazer seus cliques. Mas evite o sol do meio dia que, a pino, pode criar sombras desagradáveis abaixo do nariz, pescoço e olhos. Só utilize o flash se não tiver opção e se o lugar for realmente muito escuro. Caso contrário, o recurso servirá apenas para escurecer ainda mais o fundo da foto e para destacar imperfeições. “Também é interessante ligar o flash quando o fundo da imagem é mais claro que o objeto fotografado ou quando a iluminação do ambiente cria sombras nele”, afirma Bianca Tatamiya, professora do curso Técnico em Processos Fotográficos do Senac Tatuapé, em São Paulo.

Getty Images

Acerte na selfie

Quem viaja sozinho também pode fazer bons cliques. A orientação da fotógrafa profissional Fernanda Eggers é não deixar o celular muito próximo ao rosto. “A foto fica distorcida e a pessoa acaba parecendo maior do que é. Sem contar que a aproximação não permite mostrar o ambiente”, explica. A solução é contar com o popular bastão de selfie, um tripé ou o temporizador automático. Alguns aparelhos permitem até tirar a foto usando o botão do fone de ouvido. É só escolher um lugar para posicionar o celular, tomar distância e fazer o clique. Mas, seja qual for a sua escolha, tenha em mente que o ideal é que a foto seja preenchida com dois terços de paisagem e que a sua imagem ocupe apenas um terço do total.

Getty Images

Invista em lentes adaptáveis aos celulares

Acessíveis, as lentes abrem um leque enorme de possibilidades na hora de registrar os melhores momentos da sua viagem. Há diversos tipos: a grande-angular amplia o ângulo de captura da imagem; a teleobjetiva aproxima objetos distantes; a macro é ideal para fotografar pequenos detalhes e objetos; e a olho de peixe rende cliques divertidos, já que produz imagens semelhantes às vistas através do olho mágico de uma porta. “A grande vantagem dessas lentes é poder experimentar, de maneira bastante prática”, afirma Rafael Araujo. Mas pesquise bastante sobre a qualidade delas antes de comprar. “Algumas podem diminuir a qualidade da imagem e esse não é o objetivo”, declara Bianca.

Getty Images

Faça fotos panorâmicas

Muitos celulares possuem a opção de foto panorâmica, que amplia o alcance de captura da imagem e rende cliques incríveis. “A fotografia panorâmica é ideal para situações em que o fotógrafo pretende registrar dimensões, distâncias e profundidade, como pontes, estádios e praias”, diz o fotógrafo Rafael Araujo. Para a foto não ficar borrada, segure o celular com as duas mãos, de preferência apoiando os cotovelos no corpo, e mova a câmera sem pressa. “Evite fazer fotos panorâmicas de locais com muita informação, assim, o celular processa melhor a imagem e não há o risco de sair algum objeto cortado”, explica Renner Boldrino.

Getty Images

Invista nos aplicativos

Existem aplicativos fáceis de manusear, com recursos capazes de dar um toque todo especial às fotografias da sua viagem. O Câmera + permite controlar o tempo de exposição e selecionar o foco; com o Snapseed, é possível tratar as imagens por área; o VSCO Cam possui filtros pré-definidos; o Hyperlapse cria o efeito conhecido como “timelapse”, que permite visualizar em poucos segundos movimentos que chegam a levar horas para acontecer; já o CameraAwesomepossibilita ao usuário focar e medir a luz em pontos diferentes do quadro, para conseguir a melhor definição do objeto fotografado. E, como esses, há muitos outros aplicativos interessantes na rede, pagos e gratuitos. Vale a pena sapear!

Getty Images

Aproveite a função HDR

Atualmente, as câmeras dos celulares contam com a função HDR (High Dynamic Range – Alto Alcance Dinâmico), indicada para fotografar paisagens e ambientes com pouco movimento, ou para registrar cenas em que há muita diferença de luz entre os diversos pontos. “É um ótimo recurso, principalmente para viagens, pois deixa as fotos mais bonitas”, declara Fernanda Eggers.

Getty Images

Ajuste o foco

Seguir todas essas dicas e apertar o botão do celular para fazer o clique pode não ser o suficiente para garantir uma imagem impecável. Isso porque o aparelho pode focalizar um ponto que não é necessariamente o que você quer destacar. “Toque a tela na área mais importante da sua foto, para que a câmera entenda que é naquele local que ela deve focar e medir a luz”, ensina a professora Bianca Tatamiya.

Getty Images

Armazene na nuvem

Aparelhos eletrônicos estão sujeitos a panes, perda e roubo. E perder todos os seus registros de viagem por um desses motivos certamente será uma experiência péssima, certo? Para passar longe desse drama, o ideal é fazer o backup das imagens na nuvem. “Na maioria dos smartphones, é fácil fazer os ajustes necessários para que esse processo aconteça de maneira automática”, diz Renner Boldrino. Para preservar o pacote de dados da operadora de telefonia celular, a orientação dos especialistas é configurar o aparelho para fazer o backup apenas quando estiver conectado a uma rede sem fio. Daí,depois de se certificar que o backup realmente foi feito, é possível liberar memória para fazer mais cliques.

 

Fonte: http://viagem.uol.com.br/